Artista digital, músico e roteirista. Brasileiro, mineiro.

Rafael Ski trabalha com as ferramentas de seu tempo, com a dita “baixa tecnologia de ponta”, onde, utilizando componentes eletrônicos acessíveis, simples e até mesmo cotidianos, o artista brasileiro trabalha com avançadas tecnologias, como reconhecimento facial, elaborados sensores de movimento, intrincadas movimentações de partículas digitais, sempre antenado para o impacto das novas tecnologias sobre a vida cotidiana.

Assim que se graduou em Bacharel Belas Artes pela Universidade Federal de Juiz de Fora (Brasil), em 2010, iniciou sua pesquisa no campo das artes digitais, e já se apresentou em diversas galerias nacionais e internacionais. Uma das mais recentes e marcantes exibições, se deu em uma das mais importantes galerias da capital do Irã, Tehran, a “Mohsen Gallery”. Além de três edições da residência artística “Interactivos?”, ocorridas na Espanha e Inglaterra.

Trabalhando com mídias digitais e interativas, seu objetivo não se encerra na tecnologia em si. Apesar de se utilizar do raciocínio lógico para criar seus ambientes interativos, Rafael Ski busca incitar provocações que vão muito além do campo da razão. Ele busca provocar o “sentir”. Dentro desse ambiente, potencialmente, frio e racional, ele busca a humanização dessas tecnologias.

Rafael Ski works with tools of his time, with a so-called “high-low technology”, where he uses accessible, simple and even everyday electronic components, the Brazilian artist works with advanced technologies such as facial recognition, elaborate movement sensors, intricate movements of digital particles, always tuned to the impact of new technologies on a daily life.

Once he graduated in Fine Arts from the Federal University of Juiz de Fora (Brazil), in 2010, he began his research in the field of digital arts, and has already performed in several national and international galleries. Stand out the participations in the digital art festival TADAEX16 – Mohsen Gallery, in Tehran (Iran) in 2016 and again in 2018. In addition, he was at three editions of the artistic residence “Interactivos?”, occurred in Spain and England.

Working with digital and interactive media, his goal does not end with the technology itself. Although using logical reasoning to create their interactive environments, Rafael Ski seeks to incite provocations that go far beyond the field of reason. It seeks to provoke the “feel”. Within this potentially cold and rational environment, he seeks the humanization of these technologies.